Uma menina que está indo além !

Posted by

Eu não sou uma escritora e esta não é uma história extraordinária. É apenas um artigo, é a minha história. Eu sou uma garota do que vem do campo, de um país que é pequeno, por si só, mas é muito rico em recursos naturais e culturais. O meu país é o Nepal. A história é sobre uma garota que deixou a sua cidade, país e continente, e decidiu viajar, sair da sua zona de conforto e ganhar experiência. Mas minha viagem não era voltado aos estudos ou para qualquer trabalho. Eu vim para ser voluntária, eu acho que fazer voluntariado é ajudar os outros na esperança de que a minha ajuda faça alguma diferença positiva na vida dessas pessoas e, ao mesmo tempo, desenvolver minhas habilidades pessoais e profissionais.
Minha viagem começou no dia 21 de novembro de 2015, quando fiz as minhas malas e entrei no avião. Mudei de Godawary, Lalitpur, Bagmati, Nepal para Vico di Santa Fede, Genova, Liguria, Itália. A experiência da viagem foi muito emocionante e muito longa também.

Quando coloquei meus pés em Genova a sensação foi incrível. Eu estava pensando “Isso é real?” “Estou realmente em Genova?” As estradas, ruas, casas, pessoas, tudo parecia estranhamente incrível. E, o fato mais interessante é que eu viverei perto do porto e do mar. O primeiro dia, eu cheguei à noite, Acela (minha colega voluntária do México) me levou para jantar. Estamos na Itália não é? Então nós comemos pizza. No caminho para casa, fizemos um rápido passeio pela cidade a partir de Catedral de San Lorenzo, Palazzo Ducale, Piazza de Ferrari ao longo da rua protegida pela UNESCO Via Garibaldi, até chegar em nossa casa. No dia seguinte, Acela me levou para almoçar em Giardini Luzzati. É um restaurante onde almoçamos, fornecido pela organização. E depois disso, fui para o local de trabalho onde me encontrei com as crianças. O dia estava realmente confuso, mas apesar de tudo, era muito especial. Em seguida, os dias eram longos, enquanto as semanas se tornaram curtas. Na primeira semana, eu era uma espécie de dependente da ajuda de Acela. Mas depois ela foi para Berlim e eu tive que aprender a ser independente. Eu me perdia nas ruas, comprava um produto em vez de outro. Foi uma loucura! Mas, de alguma forma, com o passar das semanas, tudo começou a ficar normal. Eu viajei para Pisa, Camogli. Camogli valeu mais a pena do que Pisa, ao menos para mim pois foi minha primeira experiência no mar. E no final do primeiro mês, houve uma formação de chegada do SVE, em Vitorchiano, província de Viterbo, durante toda uma semana, o que ajudou muito para conhecer mais sobre a Itália e, pessoalmente, fiz alguns amigos também. Por último, o primeiro mês foi emocionante e serviu como um grande professor, me ensinou coisas sobre a vida pessoal e profissional. Estar tanto tempo longe da minha família, me fez aprender a cuidar de mim. Tenham sido coisas como gestir o meu dinheiro ou de saúde, ou ainda, tomar conta da minha casa, tudo isso me fez sentir independente, confiante e me ajudou a crescer como indivíduo. Sobre o meu trabalho o progresso que obtive, embora eu tivesse já alguma experiência com voluntariado no meu país, a responsabilidade que me foi dada ajudou-me a compreender e adquirir habilidades que serão úteis no meu futuro. Eu aprendi muitas coisas incríveis e espero usá-las no futuro.

Como o primeiro mês foi lutar, aprender, cometer erros e falhar. No segundo mês, houve um pequeno progresso. Eu aprendi um pouco mais e lutei um pouco menos. Naquele mês eu não viajei para nenhum lugar, pois eu queria ficar e estudar a língua italiana. Mas, eu participei do jantar de Natal e o almoço também. Durante as férias, eu assisti vários filmes em inglês com histórias sobre o Natal. Eu não sabia o que era, mas eu experimentei o Natal de verdade naquele dia.

Falando sobre minha parte profissional, a minha organização de hospedagem é o Ce.Sto localizado em Gênova, Itália. Esta organização trabalha basicamente com crianças e refugiados. Esta associação é um lugar de coexistência e integração de diferentes grupos étnicos, as diferenças entre gerações num clima de companheirismo e respeito mútuo. Eu particularmente trabalho com crianças de 5-17 anos de idade.

Expectativas! Todo mundo ficava me perguntando quais eram as minhas expectativas, eu satisfiz todas as minhas expectativas e prendi muito sobre expectativas. Mas, na realidade, eu acho que realmente não esperava nada, absolutamente nada. Porque, eu sabia desde o começo que tudo iria mudar, tudo iria ser diferente e que o tempo não poderia ser sempre bom, mas o ano serria uma aventura. Então, eu nunca esperei nada, eu só queria ir com o fluxo. E, hoje, após estes meses estou me sentindo muito feliz e abençoada por ter tido esta oportunidade.
E sobre a experiência de aprendizagem, estou progredindo. Estou fazendo duas aulas para aprender o italiano. Uma das aulas é mais prática, enquanto outra é mais teórica, mas eu gostaria de mudar, pois estas aulas não tem sido muito eficazes. Eu realmente não sei se estou fazendo bem ou não, mas eu sei que há sempre uma parte que se pode melhorar e eu estou sempre tentando melhorar as coisas que posso.

No final, esta experiência é simplesmente incrível mais do que estas palavras podem explicar. E, eu desejo que os próximos dias serão mais frutíferos. Eu aprendi a falar com as pessoas, ser social, trabalhar em grupo e a diversidade cultural. Então, eu me sinto abençoada recebendo esta oportunidade de ouro para trabalhar sob Comissão Europeia no projeto Erasmus +.

Obrigado!
Sankusha Karki
Godawary, Lalitpur, Nepal.

Vicoli di genoa.

pequenas ruelas de genova.

Porto di notte ! Port at the night !

porto pela noite!

Blog Post Location

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *