Não é sobre o lugar, é sobre você.

Posted by

Quando você opta por mudar-se para outro continente por um longo tempo, para um projeto de voluntariado, antes de sair, há uma pergunta constantemente que te acompanha todas as manhãs: estou fazendo a coisa certa? E mesmo que as respostas improvisadas sejam bons em termos de lógicos, você nunca vai conseguir uma resposta até você chegar ao lugar onde você enviou você mesmo.

Em seguida, 7 de janeiro chegou, o dia da partida para o Peru, destino Huamachuco, 3100 metros nos Andes peruanos centrais. Deixei o Inverno chuvoso de Milão e fui diretamente para o verão sul americano quente. Após 3 dias de viagem cheguei. E o projeto começou.

A associação de acolhimento é o ” Projeto amigo da casa de Marcelino Pan y Vino”, uma organização peruana sem fins lucrativos envolvida em várias frentes. Da educação para os pobres, defesa do meio ambiente através da advocacia campanhas para a formalização de minas ilegais e muito mais. Meu deveres são na verdade educação não-formal, advocacia e comunicação.

Como eu já disse, estou quase no meu segundo mês do voluntariado e eu posso fazer um balanço dos primeiros e extremamente positivos pontos.

Meu dia típico é 8-18; se eu não tenho que dar qualquer aulas de matemática para crianças de 7 a 12 anos, estou trabalhando em outros projetos. Neste momento, estamos começando a investigação sobre a condição das crianças e dos mineiros adultos, uma reportagem sobre o ambiente de trabalho e trabalhando em apoio à comercialização da ONG são algumas das minhas atividades atuais. É emocionante, envolvente e por favor me dê um dicionário para encontrar outros adjetivos. Sinto fazer parte de um conceito, uma filosofia, que lhe dá algo além de habilidades técnicas, mas também novas qualidades humanas. Na verdade, eu não esperava uma experiência de tirar o fôlego como esta. Quer dizer, eu pensei que era certamente um projeto interessante e desafiador, mas eu nunca tinha pensado que poderia me envolver tão profundamente em minhas paixões pessoais. Estamos atualmente em três: Eu trabalho com um colega italiano e um romeno. Nós trabalhamos juntos em muitas coisas, de uma forma constante e continuativa. Trabalho em equipe é sempre uma experiência de crescimento. Claro, nem tudo é simples: trabalhar como educador para as crianças é uma tarefa que testa todos os dias e dar os primeiros passos neste domínio não foi fácil. Agora, depois de algumas semanas iniciais posso dizer que eu tenho um sistema com meus alunos, com o apoio dos educadores locais, sempre dispostos a dar sugestões. Espero que essa experiência não só me enriqueça em termos de competências, mas também em termos humanos. Quanto ao contexto do Peru, sendo italiano, e do sul também, posso dizer que, mesmo que seja um novo contexto: certamente rígido, as distâncias não são inacessíveis. Sociedade, os costumes, os esquemas relacionais certamente diferentes, muitas vezes substancialmente, em seguida, não parece tão estranho. Talvez por causa do espírito que estas pessoas sempre carregam com eles, ou apenas porque é curioso para descobrir novos aspectos de uma cultura.

Na minha avaliação, um SVE, ou, em geral, projeto voluntário é recomendável a todos. Você vai fazer novas experiências, conhecer novas pessoas, e você vai se conhecer melhor. Você aprende uma nova língua e vai trabalhar em um contexto internacional. Todas as coisas que fazem bem ao espírito humano, mas presente no seu CV, que hoje é sempre melhor manter-se com desafios atuais exigidos. Saia do monótono escritório, deixe os invejosos colegas, eletrônicos, metrôs, hipermercados e os falsos jornais, e assim você vai viajar ao redor do mundo!

Italo Angelo Petrone

Blog Post Location

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *